Conheça mudanças que a nova Lei da Terceirização traz

06 / 04 / 2017

Noticias

Sancionada no último dia 31 de março pela Presidência da República, a Nova Lei da Terceirização (Lei 13.429/2017) permite que as empresas possam terceirizar a sua mão de obra, incluindo aquelas consideradas ‘atividades fim’. Na prática, veja algumas mudanças que a novidade traz.

Antes não havia uma lei específica. O que existia era uma interpretação do TST (Tribunal Superior do Trabalho) que vedava a terceirização da atividade fim da empresa – aquela ligada ao seu negócio principal – e permitia a contratação para ‘atividades meio’ – definição menos clara, mas que pode ser ilustrada com a atividade de limpeza ou jardinagem de uma empresa que produz alimentos, por exemplo.

Agora há liberação irrestrita da terceirização de todas as atividades, exceto as que possuem lei especial e própria, como domésticas, empresas de vigilância e transporte de valores.

 

Direito do trabalho – A nova lei da terceirização assegura todos os direitos trabalhistas aos trabalhadores CLT das empresas prestadoras de serviço. O que muda, de fato, é o papel da contratante perante as obrigações trabalhistas, como recolhimento de contribuições, pagamento de salários e benefícios.

Antes a empresa contratante era solidária às obrigações trabalhistas que eventualmente não fossem arcadas pela prestadora de serviço terceirizada. Ou seja, se o trabalhador acionasse a justiça por qualquer motivo, contratante e contratada respondiam igualmente à ação.

Agora, pela nova lei de terceirização, a empresa contratante responde de forma subsidiária na justiça, o que equivale a dizer que, apenas em último caso, a contratante será acionada a arcar com qualquer débito trabalhista do prestador de serviço com o seu funcionário terceirizado.

 

Além disso – Há ainda outras mudanças. Com a nova lei, fica expressamente permitida a chamada ‘quarteirização’ de serviços, ou seja, a empresa contratada para prestar os serviços pode subcontratar outras empresas para prestá-lo.

Também foram criadas algumas regras mínimas para que as empresas possam prestar serviços terceirizados, entre elas a necessidade de ter capital social compatível com o número de empregados.

Acesse a Lei aqui.

 

(Fontes: Uol, Estadão, planalto.gov.br, Conjur e contabilizei.com.br)

  • Sobre
  • Últimos Posts

Lassori

Somos um escritório de advocacia voltado para empresas com gestão familiar ou cuja tomada de decisões está centrada em sócios/ acionistas fundadores. Nosso compromisso é oferecer as melhores soluções jurídicas para o negócio dos nossos clientes, sem riscos, numa perspectiva integrada entre as diversas áreas da empresa (finanças, contabilidade, comercial, contratos etc.), e adequadas a cada realidade organizacional.

Usamos cookies para personalizar o conteúdo, adaptar e medir anúncios, além de oferecer uma experiência mais segura a você. Ao continuar a navegação em nosso site, você concorda com o uso dessas informações. Leia nossa Política de Cookies e saiba mais.